Archive: ‘Autoral’



Beleza em um banheiro abandonado

Thursday, July 21st, 2011

Ninho de beija-flor

DOF – O que está sendo destacado?

Thursday, July 14th, 2011

Somos bombardeados diariamente por zilhões de bytes de informações.. jornal, Twitter, feeds, TV, outdoors, revistas…

Vemos todos os dias cenas de todos os tipos: tristes, memoráveis, agradáveis, repugnantes…

E temos contato com pessoas de caráter diferentes: amigáveis, falsas, confiantes, tímidas, encorajadoras, desanimadoras…

Em todos os itens supracitados há algo que se destaca. Porém, a escolha de neles prestar atenção, de neles “focar” e “desfocar”, de guardá-los e deletá-los de nossa mente e rede de relacionamentos  é de cada um de nós.

Temos o direito de escolher. O lance é ter sabedoria para fazer isso corretamente.


*DOF -Depth of field (profundidade de campo) – Mais: http://www.flickr.com/groups/iptertulia/discuss/72157626404565296/

Flor de abóbora frita – receita

Sunday, July 10th, 2011

Receita da Tia Silézia:

Ingredientes:

01 – Algumas flores de abóbora;
02 – Óleo;
03 – Um monte de carinho;
04 – Amor à gosto.

Modo de preparo:

01 – Aqueça o óleo, frite as flores e despeje o carinho e o amor à vontade.
02 – Sirva com sorrisos.

Onde está sua atenção?

Tuesday, June 28th, 2011

Hoje fiquei feliz ao ouvir de uma colega de trabalho a simples frase:

– Paulão, obrigado pelas suas palavras ontem. Me fizeram muito bem.

Fiquei feliz por ter feito bem a alguém e também por, ao falar com ela a respeito de algo que a incomodava, também me ouvi.

A conversa tem a ver com o foco que damos às coisas que estão ao nosso redor. Digo, como enxergamos, compreendemos ou encaramos essas coisas.

Na maioria da vezes, talvez devido a nossa natureza humana, prestamos mais atenção naquilo que é ruim: notícias sangrentas no jornal; detalhes da separação dos vizinhos; a doença que matou fulano e por aí vai. É comum.

A conversa com minha colega teve a ver com escolhas: ou escolhemos focar no que está ruim à nossa volta ou mudamos o foco para aquilo que é bom ou que podemos mudar, melhorar. Mais ou menos isso. Não há família perfeita, escola ou faculdade perfeita, trabalho perfeito, casamento perfeito. Portanto, onde deve estar nosso foco? Naquilo que é ou está ruim ou naquilo que há de bom ou bonito?

Eu sei, não duvide, eu sei que é fácil falar.

Terceira Ponte em simples noturnas P&B

Sunday, June 26th, 2011

Há poucos dias conversava com meu amigo Paulo Freitas a respeito de como exercitamos as coisas que gostamos, involutariamente. Ele, designer por formação e profissional da área, disse que pra onde olha analisa cores, texturas, formas e rimos um bocado disso.

No meu caso, já devo ter falado isso aqui, vivo fotografando tudo o que está à minha volta: perspectivas geradas pelo holofote do terminal rodoviário e também do armazém da empresa onde trabalho; imagino como as pessoas com quem estou conversando ficariam numa foto, o ângulo, a luz, o desfoque do fundo; crops interessantes de uma touca pendurada ao lado do registro do banheiro e por aí vai… viagens que nem sempre dariam uma boa foto e não é isso que estou colocando em questão. Apenas retratam (desculpem-me o trocadilho) o quanto gosto de fotografia.

Acredito que esse “exercício” mental é muito proveitoso. Pois, nos faz criar, inovar, ousar, experimentar novas coisas dentro das áreas em que atuamos ou simplesmente gostamos.

Ontem ao voltar de uma festa de família chamaram-me a atenção as diversas luzes e perspectivas geradas pelos postes iluminados da Terceira Ponte e, apesar do ruído, gostei do que consegui fotografar. Alguma imagens, inclusive, foram feitas com o carro em movimento: