“Onde está a beleza do vale?”

Certa vez, caminhavam um monge e um jovem discípulo pelas altas encostas de uma montanha, quando, de repente, depararam-se com um monge inerte, recostado ao penhasco. Ao se aproximarem, perceberam, pela coloração escura de seus lábios, que ele havia se suicidado. O jovem discípulo, inconformado, indagou:

– Por que ele fez isso?
O velho sábio olhou firmemente para a imensidão do horizonte e perguntou ao jovem:
– O que você vê à sua frente?
O jovem respondeu:
– A beleza do vale.
O mestre então concluiu:
– Ele viu feiúra onde você vê beleza.”

Retirado do livro “Elogio à loucura“, de Isa Oliveira, livro que estou lendo e é muito bom, muito bom. Conta a história da Sra. Dulce, uma velhinha de 66 anos que “morreu” há 30 e descobriu que tem câncer e tem poucos meses de vida. Quando ela morreu endureceu-se seu coração ao ponto de não querer amar ninguém e nem sentir dor por nada, era como se fosse um pedaço de pedra no mundo, como se apenas existisse. Nem aos filhos permitiu-se demonstrar amor.

Ao decidir escrever um livro, começa a se ouvir e então surpresas lhe ocorrem… leitura que diverte, emociona e nos faz viajar e refletir sobre amar, fazer o bem a outros, permitir ser amado e por aí vai.

Ah, só uma pergutna: O que você está vendo? Onde está a beleza do vale que está à sua frente?

[Atualização 1]
Terminei de ler e recomendo! Fez-me pensar sobre o quão são importantes os pequenos momentos, o contato com as outras pessoas, com você mesmo, como o tempo passa depressa e ficamos aprisionados a coisas dolorosas, mas que não precisam ser eternas. Mágoas vêm e vão. E, como já disse alguém, devemos ficar preparados para as decepções que virão, não vivemos num mundo cor-de-rosa, embora os gays a-m-a-m dizer isso aos quatro ventos.

Fez-me pensar também sobre fé, sobre conexão com o que acreditamos. Espiritualmente falando.

Tags: ,

Gostou? Compartilhe!

2 Comentários para ““Onde está a beleza do vale?””

  1. […] aos 30 e deixou de demonstrar amor ou ódio, simplesmente perambulava pela Terra, como aqui já foi explicado. Já Walt, veterano de guerra, carregava na memória os últimos suspiros de um prisioneiro de […]

  2. […] de “Elogio à Loucura”, terminei ontem de ler “O Caçador de Pipas”, de Khaled Hosseini. Este último livro é […]

Deixe um comentário