“Tirar foto” é fácil

Tirar foto é fácil, qualquer pessoa pode comprar uma câmera e sair por aí “atirando”.

O que faz uma boa foto não é o equipamento, é o fotógrafo. Sim, é óbvio isso. Mas você já deve ter ouvido a pergunta cretina feita por alguém que vê uma foto bacana: “nossa, que equipamento você usou?”. Ou deve ter ouvido ainda a afirmação “com essa máquina qualquer foto fica boa!”… pronto, matou um fotógrafo de raiva…

Dê o mesmo equipamento para outra pessoa sem feeling, sem dom, sem preparo técnico e confira o resultado… certamente serão incomparáveis.

Vinícius Matos, grande fotógrafo brasileiro que atua em casamentos, citou que “o equipamento fundamental para as suas fotografias é ele mesmo”. Já Ronaldo César Leite, meu professor do Curso ministrado pelo @clubedafoto, com seus mais de 20 anos de experiência no ramo, ganhou um concurso com uma máquina bem simples, compacta. Provas de que a causa da boa fotografia não está no equipamento e sim na essência e no conhecimento técnico do fotógrafo.

A questão é que talvez a maioria das pessoas que empunham uma máquina fotográfica simplesmente “miram e atiram” e repousam na sorte de ter tirado uma foto boa ou gozam da facilidade, comodidade gerada pelas máquinas digitais no que diz respeito a poder tirar quantas fotos quiser até uma ficar boa.

Para ajudar a perceber a fotografia de modo diferente do que foi falado acima e assim registrar de modo único os seus momentos, cito 20 perguntas que todos os fotógrafos deveriam fazer antes, durante e depois de dar o clique. Claro que nem todas se aplicam a todos os trabalhos:

Significado

“O que eu quero dizer com esse clique?”
Fotografar é escrever com a luz. O que eu quero escrever? Qual história eu quero contar?

“Qual tipo de fotografia vai me ajudar a capturar o que eu quero dizer?”
Retrato? Natureza morta (still life)? Paisagem? Conceitual? Os objetivos direcionam os tipos de fotografia.

Pensando sobre

“O que eu deveria fotografar?”
Considere o óbvio, mas não deixe de pensar em todas as possibilidades. Deixe a mente viajar.

“Como eu posso ter acesso a pessoa ou ao que eu vou fotografar?”
É uma habilidade que difere os agraciados dos não agraciados. Você não pode fotografar algo que não está vendo. Aqui destaco o poder de seu networking.

“Qual local ou ambiente seria o melhor para este trabalho?”
Leve sempre a câmera com você e registre os lugares que você ache interessante. Um dia podem lhe servir.

“Como posso ter acesso àquele ambiente?”
Leia acima sobre acesso às pessoas.

“Existem permissões envolvidas?”
Às vezes, através da pessoa certa, você pode conseguir escapar de ingressos/permissões/proibições de acesso. Mais um ponto para o networking.

“Existe outro tipo de uso que posso dar à foto que me permitiria combinar recursos e maximizar os resultados?”
Uma vez que você visualizou uma boa oportunidade de fotografar, mas antes de fazê-lo, pense lateralmente. Quem mais usaria essa foto? Eles poderiam ajudá-lo com melhor acesso? Talvez até um suporte?

Preparando o clique

“Qual conteúdo adicionar ou quais elementos secundários ajudariam a foto?”
Isso é como um bom local irá ajudar. Procure por múltiplas opções em uma locação. A exploração do local pode mostrar outras opções ainda não vistas.

“Qual estilo?”
Novamente, objetivo direciona a foto, que por sua vez direcionam as decisões. E essas poderiam ainda ser randômicas.
Um preto e branco ficaria melhor? Mesmo que você opte por ficar com mais cores, você vai olhar diferente para o motivo.

Que tal utilização de filtros? Formatos diferentes? Ou fazer uma aplicação diferenciada da foto? Deixe a foto dirigir o estilo e não o contrário.

“Flash ou luz ambiente?”
Não é porque você entende de iluminação com flash que tem que utilizá-la.

“Ok, com flash. Como?”
Tantas opções – imitação de luz natural, luz motivada, luz estilizada. Novamente, a análise de “cima para baixo” ajuda a direção de boas escolhas.

“Qual tipo de ferramentas de iluminação utilizar?”
O estilo direciona as ferramentas! Um por do sol pode ser imitado com um SB-800 ou o farol de uma moto 800cc.

“Como eu posso encontrar a ferramenta?”
Se você não tem uma, procure pegar emprestado primeiro. Cooperar também com outros fotógrafos é uma grande idéia, por diferentes razões. Ou então aluge, ou ainda faça você mesmo.

“O que eu posso pesquisar sobre meu motivo para melhorar a probabilidade de uma boa sessão?
Quando você conhece o motivo você pode quase ouvir um suspiro de alívio. Faça sua pesquisa a respeito de tudo o que você possa pesquisar. Google, Wikipedia, pergunte à secretária, qualquer coisa.

Durante o momento dos cliques

“O que eu posso encontrar de comum entre o sujeito e eu mesmo e que eu possa usar para criar um momento, uma conexão?”
Depois de todas análises prévias, liberte-se de você mesmo para dar total atenção ao motivo. Tenha uma conversa. Fale. Ouça. Aprenda.

Procure por ligações. Elas são as chaves para a construção e extensão do tempo que você terá para fotografar. “É seu filho? Quantos anos? O meu tem 9 também!”…

Antes da conclusão

“Existe alguma coisa que eu possa retirar a partir dessa foto para melhorá-la?”
Fácil esquecer depois de todo aquele trabalho um ambiente ou contexto, aproveite o momento. Mas, frequentemente as melhores fotos são aquelas que foram extraídas de sua essência.

“Enquanto eu tenho acesso ao local, existe outra foto que eu deveria tirar para aproveitar o momento?”
sempre tire uma foto em alta qualidade, por exemplo. E rica em detalhes também, para que possa ser aproveitada em outro trabalho.

Depois da sessão
“Existem usos secundários para as fotos?”
Faça pleno uso de seu acesso às fotos.

“As fotos ou os contatos que fiz podem me ajudar novamente a obter acesso a outra oportunidade?”
Muitas oportunidades surgem dos novos contatos realizados. Compartilhe e-mails, telefones, sites, perfis na rede social. Monitore sua lista de contatos e às vezes envie fotos em baixa resolução para eles!

Um projeto bom que surge inesperadamente é otimo! Mas eu posso já iniciar uma conversa com um ou mais contatos feitos, que podem se tornar meu próximo motivo em algum dia. E isso é agrdável para eles, pois eles podem opinar, sugerir.. assim como pode ser bom para um novo motivo ser sugerido.

Fonte: Strobist

Post to Twitter Post to Delicious Post to Digg Post to Facebook

Tags:

Gostou? Compartilhe!

Um comentário para ““Tirar foto” é fácil”

  1. [...] toda experiência é um aprendizado, coloquei em prática algumas das lições citadas nas 20 perguntas que todo fotógrafo deveria fazer a si mesmo. Dentre várias, [...]

Deixe um comentário


 

All Images Copyright The PhotoLounge Theme | Blog Theme Created by LJP & SLR Lounge
Facebook
Twitter