Tag: ‘Dicas’



Mathieu e Thomaz

Monday, November 2nd, 2009

Jean não é um cara normal. Acostumado sempre a ser diferente, do tipo que recusa uma indicação de um vendedor que recomenda um produto que foi vendido “há mais de 10 pessoas ontem” simplesmente pelo motivo do produto ter se tornado comum, ele também entra no clube das pessoas que fazem diferente ao “fazer” dois filhos com deficiência mental, Mathieu e Thomaz.

Aonde a gente vai, papai?” é um livro que descreve de forma emocionante e engraçada (graça fortemente temperada com humor negro) a vida dos dois filhos de Jean-Louis Fournier, autor do livro. As crianças são portadoras de deficiência mental e as piadas mórbidas que o autor faz a respeito delas tiram um pouco daquela mesmice com que a maioria das pessoas trata os deficientes mentais: com pena, medo, vergonha, tristeza, falta de tato.

As crianças não liam, não corriam, não andavam de bicicleta, não namoravam, não iam à escola, não dirigiam, não tinham cartões, não jogavam futebol, não ficavam eretos, não tomavam banho sozinhos e não eram motivo de orgulho para seu pai. A frase que compõe o título do livro foi inspirada em Thomaz. Toda vez que eles andavam juntos no carro Thomaz perguntava ao pai incansavelmente a mesma coisa, repetidamente, mesmo após receber as respostas.  Mathieu foi descrito pelo pai como um amante da velocidade, pois só ficava repetindo “vrum-vrum” enquanto estivesse acordado.

Alguns trechos do livro chocam o leitor, pela ousadia do autor expressa nas palavras que os compõem. Como um em que o autor agradece aos filhos o fato de ter podido andar em grandes carros americanos. O que ocorreu devido aos grandes descontos que o condutor que tivesse filhos deficientes possuía ao comprar veículos na França.

By Don Meliton

Obrigado, meninos

Uma das partes do livro, que retrata o humor negro do autor:

“Thomaz e Mathieu estão crescendo, estão com onze e treze anos. Pensei que um dia eles teriam barba, que teríamos que barbeá-los. Imaginei-os por um instante barbudos.
Pensei que, quando fossem grandes, eu daria a cada um deles uma boa navalha de barbear. Nós os trancaríamos no banheiro e os deixaríamos se virar com a navalha. Quando não ouvíssemos mais anda, limparíamos o banheiro com um pano de chão.
Contei isso a minha mulher para fazê-la rir”.

O livro não é somente composto de piadas infames, mas também de momentos de desabafo que emocionam. Houve momentos em que lágrimas me vieram aos olhos. A obra nem tampouco serve como manual para aqueles que querem aprender como lidar com portadores de deficiência mental. É “apenas” um registro que parece ser sincero de um pouco do cotidiano de pessoas que vivem um caso atípico: possuem dois filhos que não são normais, apesar de esse termo ser repudiado pelo autor.

Recomendo.

Grooveshark

Wednesday, October 28th, 2009

Grooveshark é um site que permite ouvir músicas no sistema “search for music” sem cobrar nada por isso.

Simples de mexer e com uma interface bacana, o serviço permite que você possa encontrar sua música, artista ou álbum predileto. E mais: o acervo é muito amplo, inclusive conta com diversos artistas brasileiros.

Há a possiblidade de criação de playlist, de ouvir os sons mais tocados, de classificar os sons como “favoritos” e colocar seus sons na biblioteca de forma que seus amigos possam saber o que você está ouvindo.

Recentemente teve seu layout modificado e ficou mais enfeitado com possibilidade de alteração do “skin”, embora algumas opções estejam reservadas para os usuários VIP (devem ser aqueles que entram sem pagar fila na boate).

PJ Harvey

Enjoy it

“Onde está a beleza do vale?”

Monday, September 21st, 2009

Certa vez, caminhavam um monge e um jovem discípulo pelas altas encostas de uma montanha, quando, de repente, depararam-se com um monge inerte, recostado ao penhasco. Ao se aproximarem, perceberam, pela coloração escura de seus lábios, que ele havia se suicidado. O jovem discípulo, inconformado, indagou:

– Por que ele fez isso?
O velho sábio olhou firmemente para a imensidão do horizonte e perguntou ao jovem:
– O que você vê à sua frente?
O jovem respondeu:
– A beleza do vale.
O mestre então concluiu:
– Ele viu feiúra onde você vê beleza.”

Retirado do livro “Elogio à loucura“, de Isa Oliveira, livro que estou lendo e é muito bom, muito bom. Conta a história da Sra. Dulce, uma velhinha de 66 anos que “morreu” há 30 e descobriu que tem câncer e tem poucos meses de vida. Quando ela morreu endureceu-se seu coração ao ponto de não querer amar ninguém e nem sentir dor por nada, era como se fosse um pedaço de pedra no mundo, como se apenas existisse. Nem aos filhos permitiu-se demonstrar amor.

Ao decidir escrever um livro, começa a se ouvir e então surpresas lhe ocorrem… leitura que diverte, emociona e nos faz viajar e refletir sobre amar, fazer o bem a outros, permitir ser amado e por aí vai.

Ah, só uma pergutna: O que você está vendo? Onde está a beleza do vale que está à sua frente?

[Atualização 1]
Terminei de ler e recomendo! Fez-me pensar sobre o quão são importantes os pequenos momentos, o contato com as outras pessoas, com você mesmo, como o tempo passa depressa e ficamos aprisionados a coisas dolorosas, mas que não precisam ser eternas. Mágoas vêm e vão. E, como já disse alguém, devemos ficar preparados para as decepções que virão, não vivemos num mundo cor-de-rosa, embora os gays a-m-a-m dizer isso aos quatro ventos.

Fez-me pensar também sobre fé, sobre conexão com o que acreditamos. Espiritualmente falando.

Eu te amo cara

Thursday, September 17th, 2009

Mais um da série “Recomendo”: “Eu te amo cara”. Conta a história de um cara sempre dedicado ao trabalho, noivo e que precisa urgente de um padrinho para o seu casamento,  pois não possui um amigo para isso.

Aí então começa uma divertida e engraçada procura por novas amizades em sites, em jornais, nos espôsos das amigas de sua noiva… Até que encontra um sujeito diferente e rola uma afinidade engraçada entre os dois. Fez-me pensar a respeito de amizades… 😉 Uma boa comédia, nada exagerada!

Ah, e pra quem curte: tem um showzinho do Rush no filme.. 😉

(I Love You, Man, EUA, 2009)

Elenco: Paul Rudd, Rashida Jones, Sarah Burns (3), Greg Levine (2), Jaime Pressly, Jon Favreau, Jane Curtin, J.K. Simmons, Andy Samberg, Jean Villepique, Rob Huebel, Colleen Crabtree, Kym Whitley, Caroline Farah, Mather Zickel

Intrigas de Estado

Thursday, September 17th, 2009

Assisti e recomendo. Gosto de filmes que falam sobre a possível ou clara corrupção do Governo. Em “Intrigas de Estado” a trama envolve deputados, grandes organizações, jornais, adultério e “boa aparência” de esposas para encobrir a sacanagem do espôso político e por aí vai. Boa trama. Um bom policial, com uma pitada de romance.

(State of Play, EUA, Inglaterra, 2009)

Elenco: Russell Crowe, Ben Affleck, Rachel McAdams, Helen Mirren, Robin Wright Penn, Jason Bateman, Jeff Daniels, Michael Berresse, Harry J. Lennix, Josh Mostel, Michael Weston, Barry Shabaka Henley, Viola Davis, David Harbour, Sarah Lord