Tag: ‘Savaris Photo’



Visão diferenciada

Friday, February 12th, 2010

É sabido que as pessoas têm olhares diferentes em cima de uma mesma cena e isso explica um pouco a razão de, em um mesmo motivo, visualizarmos diferentes possibilidades e obtermos diferentes fotografias.

Estamos em frente a um carrossel, colorido, com diversos cavalinhos, algumas crianças, balões de diversas cores, um pipoqueiro à esquerda, um rapaz amarrando o cadarço do tênis e mais alguns motivos e entregamos a cena para algumas pessoas “armadas” com suas câmeras. O resultado vai ser diverso: algumas vão dar um close no carrossel, umas vão dar idéia de movimento, outros vão congelar a imagem. Outras poderão tirar o foco do carrossel e prender-se ao rapaz amarrando o tênis, enquanto haverá ainda o que registrará as marcas de expressão do rosto do senhor pipoqueiro. Quem sabe surja alguém que fotografe o movimento da roda gigante que está atrás do carrossel?

Visualizar ângulos diferentes, enxergar além do que nos é óbvio, sair do senso comum é algo válido para quem quer se diferenciar em fotografia. Para quem quer descobrir ou desenvolver sua linguagem fotográfica (tema para post futuro). Desenvolver um olhar mais crítico, mais perceptivo é uma maneira de se diferenciar dos outros fotógrafos.

É claro que há aqueles que possuem um olhar mais detalhista, que se prendem aos detalhes do motivo. E há os que se encantam pela visão mais ampla da cena. Uma não é melhor que a outra, são visões diferentes e ambas têm que ser desenvolvidas, têm que ter diferencial!

Mas como desenvolver esse olhar mais perceptivo?

Rodger Savaris, fotógrafo e professor do Curso Avançado de Fotografia da Savaris Photo e do Clube da Foto, cita um exercício prático muito proveitoso:

“Pegue uma folha de papel e um lápis, sente em frente a alguma cena e escreva TUDO o que você está vendo, desde o ponto mais distante até o mais próximo aos seus olhos. Descreva detalhes, cores, perspectivas, movimento, sombras, formas, pessoas, objetos…”

Ou seja, o exercício da descrição dos motivos que estão à nossa frente nos fará aumentar a percepção dos detalhes que deixamos frequentemente passar, independente do modo que gostamos de fotografar (linguagem fotográfica).

E acredito que “enxergar coisas aonde todo mundo vê e não enxerga” possa ser um diferencial muito importante. Pois, novos ângulos surgirão, novos motivos se mostrarão, novas técnicas serão pedidas para registrar aquele momento e consequentemente obrigarão o fotógrafo a estudar, aprender tais técnicas.

Vamos praticar? 😉

1a. Exposição Fotográfica – Clube da Foto e Savaris Photo

Friday, February 5th, 2010

Descontração, alegria, bom papo, admiração, surpresa, sorrisos e brilho nos olhos!

Esses foram apenas alguns itens que deram sabor a 1a Exposição Fotográfica dos alunos do Curso de Fotografia da Savaris Photo e do Clube da Foto. O evento aconteceu na sede do Clube, onde também fica o escritório da Savaris e ainda onde as aulas são ministradas. Colegas, parentes, alunos e professores estiveram presentes para prestigiar o resultado da dedicação dos alunos: fotografias!

Eis as fotos:

Fotografia, comes e bebes

Gabriela de Castro, Anne Carla Nantes, Débora Bueno e Vicente T.

Débora Bueno, João R. e Ald Junior

Paulo Nogarol ( hoho ) e Carlos Kill

Serviço:

Savaris Photo Stúdio Ltda.
R. Ary Siqueira 70
Enseada do Suá Vitória ES
55(27)3227 0372
Rodger Savaris – (27) 99410193
savaris@savarisphotostudio.com.br

Um dia de feira

Monday, February 1st, 2010

Em mais uma aula prática com o pessoal do @clubedafoto, fomos à feira livre de Jardim da Penha, um bairro de Vitória/ES. E antes de continuar o post relembro alguns objetivos das aulas práticas: exercitarmos nosso olhar em cima do que vemos associando a isso a aplicação de técnicas e macetes (muito bons) vistos em sala de aula.

Confesso que antes de ir à feira eu não me empolguei muito com a idéia. Pois, obviamente, me vieram à mente apenas bancas de alimentos, sujeira no chão, pessoas comprando… sacolas… cores das bancas.. nada de muito diferente do padrão.

Ao chegar lá me surpreendi com a organização dada pela Prefeitura, que padronizou as barraquinhas e a disposição delas de forma que o ambiente mostrou-se razoavelmente limpo  e com um bom espaço para circulação de pessoas. E esse trânsito de pessoas possibilitou ao nosso grupo boas oportunidades! E então me empolguei!

Alguns pontos nos quais me prendi naquela manhã, para aprendizado e treino:

  • – Utilização do fill-flash (mais uma vez), pois várias fotos foram tiradas em contra-luz (com o sol atrás da pessoa/objeto que eu iria fotografar e isso faz com que a pessoa/objeto fique muito escuro). E apanhei um bocado, pois havia duas preocupações: iluminar a cena e aproveitá-la, pois as pessoas passavam muito rápido.
  • – Agilidade e treino do olhar. Devido à grande movimentação de pessoas as oportunidades apareciam do nada e então logo sumiam;
  • – Formas de como abordar as pessoas para fotografá-las e pude ver que com um simples sorriso muitas vezes conseguimos boas fotos. às vezes nem é preciso falar nada.
  • – Estudo do ambiente para me acomodar de maneira que pudesse tirar boas fotos. Ora escondido, outrora no meio da rua e houve momentos ainda que cheguei a sentar no chão.

Eis algumas fotos:






Andando por trás das barracas achei uma brecha entre duas barracas que me deixava em cima de uma faixa de segurança e de onde eu poderia capturar algumas cenas de movimento…

Nesse dia pude ver que a discrição do fotógrafo também é muito importante para capturar posições espontâneas… máquina pendurada no pescoço na maioria das vezes espanta.

Veja no meu Flickr mais algumas fotos deste dia.

As portas abertas pela interação

Wednesday, January 27th, 2010

Estou participando do curso Básico Profissional de Fotografia ministrado pelo Clube da Foto e Savaris Photo em Vitória/ES e no último dia 23 eu e outros alunos fomos para a primeira aula prática, realizada no Parque Pedra da Cebola, que fica naquela cidade.

Chegamos às 08h30 e a intenção da aula obviamente era treinarmos o que vimos em sala de aula. Dentre os itens ministrados destaco os seguintes:

– fill flash;
– composição;
– direção de fotografia – claro que foi dada apenas uma pincelada no curso, pois o assunto envolve muitas coisas e este curso é “básico”);
– utilização apropriada de abertura, velocidade e iso;
– iluminação – também foi dada uma boa introdução no assunto. O item fill-flash está contido aqui, porém fiz questão de destacá-lo pelo fato de sua extrema importância na fotografia em dias ensolarados.

No local havia diversas crianças e muitos brinquedos. É um parque arborizado, com vias pra passeio, escorregadores, balanços, patinhos, pipoqueira… e obviamente os pequeninos se maravilhavam com tudo aquilo. Assim que fomos liberados pelo professor para fotografar me deparei com essa linda criança:

Alt 1

O que você tá fazendo tio?

Lentamente sentei no chão, para ficar no mesmo nível de altura que ela, e para minha surpresa ela não se assustou.. fez até pose.. rsrs

Percebi que ela estava acompanhada com a avó e imediatamente tratei de colocar em prática algo que vi em um curso da National Geographic: “a interação com o motivo pode abrir portas para boas oportunidades!“. Gentilmente sorri para a senhora e elogiei a criança, ela sorriu de volta. Portas abertas:

Vamos procurar um lugar pra brincar..

Tente não sorrir

Enquanto fotograva a princesinha, ela caiu de sua motoca e ameaçou chorar. Soltei: “Caiu? ahahahaha… deixa o tio tirar uma foto pra passar o dodói!” O choro foi embora e ela então ficava caindo pra chamar atenção:

Opa opa opa! Vamo tirar uma fotinha pra sarar o dodói?

Ah. então eu vou cair de novo, tio!

Pude testar novamente o lance da conexão sobre o qual outro dia conversei com os prezados amigos fotógrafos @uelitonsantos e @fernandomadeira: o diferencial de uma boa foto para uma foto que conta uma história é a conexão do fotógrafo com o motivo. É o sentimento, a emoção! E até porque não citar o amor e o carinho?

Nessa outra série outra linda criança se exibia charmosamente pra foto, talvez já mostrando talento para ser modelo:

Gostou dos meus óculos?

Uns se esforçando e outros sorrindo ...

Treinando para ser estrela

😀

Houve ainda os tímidos:

A essência da doçura

Faz um Heavy Metal aí! - By mamãe

E os que lamentaram o fim da pipoca… “Cabôôôô”

Cabôôôô

Nem todos posaram, e nem por isso não contaram sua história:

Um salto para a liberdade

"Quero ver quem balança mais alto hein!"

"Ô flamenguista!!"

"Eu não podia faltar - quá quá"

Outro momento muito proveitoso no dia diz respeito às dicas que o professor Ronaldo deu sobre direção de fotografia e que já pude colocar em prática em outra oportunidade.. mas é assunto para próximos posts rsrs

Agradecimentos aos colegas do curso pelos maravilhosos momentos.